Tendências para novos negócios na internet! E-commerce personalizado.

O Brasil encerrou o último ano com 23 milhões de e-consumidores. O número é expressivo, mas tende a crescer a ainda mais nos próximos anos. Com o potencial aumento do acesso à banda larga, a popularização de smartphones que se conectam à internet e os incentivos ao acesso à rede para a classe C,  mais e mais brasileiros devem recorrer à praticidade da internet para atender suas necessidades do dia-a-dia.

Para os empreendedores, isso significa oportunidade. Quem souber detectar as tendências e oferecer o que os consumidores estão procurando, poderá se dar muito bem.

E-commerce personalizado

Com a oferta de serviços de hospedagem que podem ser contratados sob demanda a custos acessíveis, as lojas virtuais tendem a se tornar ainda mais populares. O segredo para não bater de frente com gigantes como o Submarino e a Americanas.com é investir em nichos bastante específicos. É o caso da Café Store, especializada na venda de café e utensílios para preparar e servir a bebida pela internet. Oferecendo um mix de produto diferenciado e alto padrão de serviço, quem apostar na segmentação tende a conquistar uma clientela fiel. A mesma regra vale para os sites de compras coletivas. O momento para investir no grande público já passou, uma vez que há mais de 1 mil sites do tipo operando no país. Mas quem conseguir encontrar um filão negligenciado pelas ofertas gerais, pode garantir a sobrevivência do seu negócio.

Veja 5 exemplos de sucesso no link: http://exame.abril.com.br/pme/noticias/5-empresarios-que-deram-certo-no-e-commerce?p=2#link

Fonte: Exame

Advertisements

Vendas de final de ano deverão representar 55% de todo o faturamento do comércio eletrônico em 2010.

As festas de final de ano podem representar mais R$ 7,6 bilhões de faturamento para o setor. Sua empresa já está preparada para não perder esta oportunidade?

Somente no primeiro semestre do ano as vendas do comércio eletrônico atingiram R$ 6,7 bilhões, um crescimento de 40% em relação a 2009, segundo a empresa especializada e-Bit. E até dezembro a previsão é de que esse total chegue a R$ 14,3 bilhões. Ou seja, além de um crescimento excepcional verificado até agora, as festas de final de ano podem representar mais R$ 7,6 bilhões de faturamento para o setor.

Se você possui uma loja de e-commerce, ou um site institucional mas gostaria de iniciar atividades de e-commerce este final de ano, e pretende explorar esta oportunidade, tem de começar já. E não estamos falando apenas de preparar o estoque e o site. E necessário também o planejamento de ações de marketing digital envolvendo links patrocinados, e-mail marketing, otimização, redes e mídias sociais e acompanhamento da concorrência.

O e-Commerce no Brasil: . Segundo dados do e-Bit, cerca de 20 milhões de pessoas fizeram compras pela internet este ano e até dezembro o número pode chegar a 23 milhões.

A previsão de que este faturamento atinja R$ 14,3 bilhões até o fim do ano, representa crescimento de 35%. O valor do tíquete médio também subiu 17%, passando de R$ 323 para R$ 379.

Para o planejamento e lançamento das ações, sua empresa pode contar com ajuda especializada, como a Woodpecker que é uma agência especializada em soluções de marketing para empresas de pequeno e médio portes (PMEs), ou, caso seu departamento de marketing tenha experiência no assunto, pode fazer um planejamento interno. O que não se pode perder de vista é a oportunidade.

fontes: revista fator, e-Bit

Tendências para Mídia Social: Worldwide influencers em 140 caracteres.

TrendsSpotting’s 2010 Social Media Influencers – Trend Predictions in 140 Characters

O Trendsspotting trás várias análises de tendências, comportamentais em sua maioria. Visite: http://www.trendsspotting.com.

Case de sucesso em midias sociais: A Pepsi Social Media Strategy Lessons From Pepsi

“The real [Pepsi social media goal] was less about what’s the big strategy? and more about what are the small wins?” With millions of Facebook fans and Twitter followers, Pepsi is one of the few big corporations who have a good handle on social media.
BigThink.com talked with Bonin Bough, Global Director of Digital and Social Media for PepsiCo, to uncover the company’s secrets.
Bonin believes the biggest social media challenge for businesses is embracing innovation. “Social media doesn’t have to be a conversation,” he says. “It could be a sweepstakes exclusive to the Twitter community or a contest only for Facebook participants.”
“The real [Pepsi social media goal] was less about what’s the big strategy? and more about what are the small wins?  How do we prove ourselves internally to the organization that these are viable platforms, and then prove successes [within the communities]?”
Scaling social communities is also a challenge.  It takes a lot of work and media dollars.
“I think [scaling users] is an interesting combination between using media dollars/techniques that are going to get you reach…as well as finding what the right participation in that community is,” he says. According to Bonin, the social space is still one big experiment, but a lot can be learned from early pioneers like Guy Kawasaki.
PepsiCo is a mammoth of a company, with entire teams dedicated to measuring social media interaction.  Bough offers advice to startups that lack such extensive man-power:  Do only as much as your resources will allow.  “If you don’t have the means to have a person on Twitter 24/7, then don’t do it that way….Have [something like] Follow Fridays were you spend two hours talking to the community if that’s all you have to work with.  There really are no set rules.”
Bonin believes companies should use social media to encourage brand dialogue among loyal users. Facebook, Twitter and other social networks, and give people who are passionate about products and companies a platform to express it.
“These are just new channels that we’re going to talk to consumers in,” Bonin explains.  Why wouldn’t we be innovative?  Why wouldn’t we be at the front of that and taking risks like we do in our business in general?”
Check out the full interview below.

Read more: http://www.businessinsider.com/pepsis-secrets-to-social-media-strategy-2010-8#ixzz0z7owuoOn

Facebook: uma empresa de US$ 33 bilhões

Antes mesmo de abrir seu capital, a empresa já atrai investidores no mercado secundário

33,7 bilhões de dólares. Este é o valor de mercado aproximado do Facebook, considerando-se o valor de 76 dólares por ação do site de rede social que já é negociada no mercado secundário, antes mesmo do IPO (Venda Inicial de Ações). Reportagem publicada hoje no jornal Financial Times revela que funcionários e investidores aproveitam para comprar participações em companhias de tecnologia que ainda não têm seu capital negociado em bolsa, com o objetivo de obter boas rentabilidades em futuros IPOs.

O motivo está no fato de que, empresas de sucesso na web, como o Facebook, Twitter, LinkedIn e Zynga, estão postergando cada vez mais suas ofertas iniciais de ações por conta do momento ainda incerto dos mercados. De acordo com o jornal, analistas estimam que o IPO do Facebook pode ser o maior do segmento desde a emissão de 1,67 bilhão de dólares feita pelo Google em 2004.

by exame

%d bloggers like this: